Make your own free website on Tripod.com

O mercado de opções funciona como uma ferramenta de gerenciamento de risco, um instrumento de hedge (proteção). Como o nome diz, é uma opção oferecida pelo mercado para se negociar direitos de compra ou venda de um determinado lote de ações com preços e prazos de exercício preestabelecidos em um contrato.

A grosso modo, é uma espécie de financiamento para que, frente as incertezas inerentes ao mercado de ações, o investidor possa limitar o risco do seu portfólio em caso, por exemplo, de mudança inesperada no preço da ação. Pelo direito de compra ou venda o titular de uma opção paga um prêmio, podendo exercê-lo até a data do vencimento ou revendê-lo ao mercado.
As opções também são usadas para aumentar o potencial de ganho, diminuir os custos de transação além de indicar a volatilidade do preço dos papéis no mercado à vista. Quem escolhe apostar nas opções espera beneficiar-se de uma elevação no preço da ação com a consequente valorização do prêmio.

Para alguns investidores ainda, as opções servem como alavancagem, já que podem aumentar o retorno potencial sobre um investimento não sendo necessário aumentar o montante do capital investido. Isso é possível com opções porque o capital investido inicialmente para comprar uma opção é relativamente pequeno se comparado ao ganho.


Exemplo: Suponha-se que uma companhia brasileira deva pagar US$ 1 milhão a uma determinado fornecedor estrangeiro dentro de três meses. Supondo uma taxa de câmbio hoje, em torno de R$ 1,67, a empresa gastaria mais de R$ 1,67 milhão. Se a taxa de câmbio, no entanto, aumentar 10% em três meses, a companhia terá que desembolsar um montante ainda maior. Para proteger-se desse risco cambial, a empresa que, no caso, seria o hedger da operação, pode recorrer ao mercado de opções para transferir o risco a outro participante disposto a assumi-lo, o especulador, cujo interesse será realizar um ganho substancial em sua posição.

Terminologias:

 Opção: É um contrato entre duas partes, o titular e o lançador. Uma opção confere ao titular o direito de comprar as ações-objeto, ao preço de exercício, a qualquer instante até a data do vencimento, obedecidas as regras das bolsas de valores;

 Lançador: O lançador de uma opção de compra é a pessoa que, por intermédio de um corretor, vende uma opção de compra no pregão, assumindo assim, perante a Bolsa, a obrigação de vender as ações-objeto  a que se refere a opção, após o recebimento de uma comunicação de que sua posição foi exercida. Ele entregará a totalidade das ações-objeto mediante o pagamento do preço em exercício;

Ação-objeto: É a ação sobre a opção é lançada;

 Opção de compra: A opção de compra confere ao seu titular o direito de comprar as ações-objeto, ao preço de exercício, a qualquer instante até a data do vencimento;

Opção de venda: A opção de venda confere ao seu titular o direito de, na data do vencimento, vender as ações-objeto, ao preço de exercício. Além disso, o titular pode, a qualquer momento, negociar seu direito de venda em mercado, através da realização de uma operação de natureza oposta;

Prêmio: Em função dos direitos adquiridos e das obrigações assumidas no lançamento, o titular paga e o lançador recebe uma quantia denominada prêmio. O prêmio, ou preço da opção, é negociado entre o comprador e o lançador, através de seus representantes no pregão da Bolsa. Ele reflete fatores como a oferta e a demanda, o prazo de vigência da opção, a diferença entre o preço de exercício e o preço à vista da ação-objeto, sua volatilidade, bem como outras características da ação-objeto.

Preço de exercício: É o preço pelo qual será exercida a opção. Os preços de exercício das opções são determinados pela Bolsa, segundo critérios por ela estabelecidos. Ao ser autorizado um novo vencimento, a Bolsa abre séries de negociações com preços de exercício próximos ao preço à vista da ação-objeto. No entanto, em caso de alterações futuras nas cotações, podem ser autorizadas emissões de novas séries, cujos preços em exercício reflitam o movimento do preço da ação;

Operação oposta: Quando o investidor tem uma má expectativa, em relação à tendência de preços de uma determinada ação, ele pode assumir uma posição de titular de venda. Se suas expectativas se concretizarem, ele poderá exercer seu direito de vender a ação-objeto da operação ao preço do exercício e receber o prêmio. Se, porém, as cotações se elevarem, no mercado à vista, acima do preço de exercício de sua opção, esse investidor não poderá vender a ação-objeto e terá que arcar com o prejuízo que será equivalente ao valor do prêmio. Nesse tipo de operação, muito comum nas negociações, o lucro é maior quanto maior for a queda dos preços no mercado à vista;

Margem de garantia: Caso um dos investidores resolva cancelar a operação ou simplesmente não seja capaz de honrar os compromissos determinados pelo contrato, existem algumas garantias integralizadas no sistema de margens, nas quais as bolsas de opções podem garantir a execução de todos os contratos. As margens são depósitos de boa fé mantidos nas chamadas contas de margem, utilizadas para garantir que haverá fundos suficientes para cobrir prejuízos no caso de mudanças adversas nos preços.